Passar para o Conteúdo Principal
world best fish
logo world's best fish
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Máx C
Mín C
google plus

O que não pode perder este fim de semana em Matosinhos

Museu da quinta de santiago 1 980 2500
09 Janeiro 2019

Este fim de semana, venha até Matosinhos, onde as tradições são sempre animadas!
A programação promete eventos para todos os gostos.

26º Grande Prémio dos Reis – Ruas circundantes à Câmara Municipal de Matosinhos
No dia 12 de janeiro, pelas 15h00, o parque Basílio Teles será o ponto de partida e de chegada da tradicional corrida do 26º Grande Prémio dos Reis, uma corrida que conta habitualmente com a participação de centenas de cidadãos com vários tipos de deficiência oriundos de várias zonas do país.
A iniciativa é organizada pela Associação Nacional de Desporto para a Deficiência Intelectual, pelo núcleo de Matosinhos da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental e pela Câmara de Matosinhos e decorre nas ruas circundantes à Câmara Municipal.
Junte-se a esta tradição e apoie os nossos atletas, num ambiente de grande festa!
Quando: 12 de janeiro, pelas 15h00
Onde: Ruas circundantes à Câmara Municipal de Matosinhos

Exponoivos – Exponor
De 11 a 13 de janeiro decorre na Exponor, em Leça da Palmeira, a Feira Profissional, Temática e de Consumo vocacionado para a temática do Casamento, onde poderá encontrar diversificadas propostas e produtos para este tipo de evento.
Quando: de 11 a 13 de janeiro | horário: Sexta-feira 11 de Janeiro - 17h-22h ; Sábado 12 de janeiro - 15h-22h; Domingo 13 de Janeiro - 15h-20h
Onde: Exponor, Leça da Palmeira

Exposição “Natividade. Presépios na Coleção Cristóvam Dias” - Galeria da Biblioteca Municipal Florbela Espanca
Seis dezenas de presépios integram a exposição “Natividade. Presépios na Colecção Cristóvam Dias”, que abriu portas no dia 15 de dezembro, na Galeria da Biblioteca Municipal Florbela Espanca. A mostra inclui obras de alguns dos mais notáveis ceramistas nacionais, como Júlia Ramalho, os Irmãos Mistério ou Júlia Côta, mas também representações da natividade produzidas no Brasil, no México, no Perú e na China.
As peças que compõem a exposição “Natividade” são, na sua maioria, originárias dos principais centros produtores portugueses de cerâmica artística figurativa (Barcelos, Famalicão, Santo Tirso, Bisalhães, Bragança, Caldas da Rainha, Estremoz e Évora), criadas por um importante conjunto de artistas e artesão nacionais, como Júlia Ramalho, Júlia Côta, Irmãos Mistério, Sérgio Amaral, Manuel Macedo, Família Baraça ou Delfim Manuel. Os presépios adquirem, assim, uma nova feição, desde logo minhota, passando, por exemplo, a incluir o Galo de Barcelos. Maria e José surgem trajados à minhota, a dançar o Vira. A manjedoura transfere-se para um carro de bois. As figuras bíblicas transformam-se em matarrachos tão delirantes como qualquer um dos produzidos na banca criativa de Sérgio Amaral.
Em alguns casos terá sido o próprio Cristóvam Dias a encomendar as representações da Natividade aos artesãos, que tinham na Romaria do Senhor de Matosinhos um dos principais pontos de venda dos seus produtos. É o caso de uma peça de Carlos Baraça, que custou ao colecionador “2000$00” (dois mil escudos, cerca de dez euros).
Para além de brilhante fotógrafo, José Cristóvam Dias (1931-2014) reuniu ao longo da sua vida uma coleção de cerâmica com 2700 peças, entre as quais 800 obras de figurado português. Por vontade do colecionador e dos seus herdeiros, este espólio foi doado à Câmara Municipal de Matosinhos em 2015, tendo a autarquia assumido o estudo, inventariação e divulgação do valioso acervo de Cristóvam Dias.
Quando: de 15 dezembro a 2 de março
Onde: Galeria da Biblioteca Municipal Florbela Espanca, segunda a sexta-feira, das 09h30 às 19h00; sábados 09h30-12h30, 13h30 às 17h30

Festas de aniversário no museu: “O museu é mais velho do que eu!” – Museu da Quinta de Santiago
O Museu da Quinta de Santiago promove festas de aniversário para crianças dos 6 aos 12 anos. As festas infantis incluem uma visita especial ao museu ou á cascata gigante e a realização de uma oficina. Os preços dependem do número de participantes: até 15 crianças: 5€ cada e a partir de 16 participantes: 4,50€, com um mínimo de 10 e máximo de 25 crianças. Para mais informações contatar casadobosque@cm-matosinhos.pt ou pelo telefone 229 392 410.
Quando: sábados, das 10h00 às 13h00 ou das 15h00 às 18h00.
Onde: Museu da Quinta de Santiago | Espaço Irene Vilar

Vem Descobrir a Cascata Gigante – Museu da Quinta de Santiago / Espaço Irene Vilar
Doada ao Museu em maio de 2010, a Cascata Gigante, com cerca de 15m2, é uma reconstrução representativa da Leça de inícios do séc. XX, construída por José Moreira ""o mais velho cascateiro de Leça, localidade em que está ainda muito arreigada a tradição da montagem de grandes cascatas leceiras. Dominam as representações de pormenores, monumentos, tradições e episódios históricos de Leça da Palmeira."
ATIVIDADE: Visita à Cascata Gigante; Atividade de expressão plástica: modelagem em barro ou gesso.
Atividade: 1€ visita guiada + 2€ Atelier l p/ participante. Nº mín. de participantes:5.
Nº max.de participantes: 20. Inscrição Obrigatória. A ação é gratuita para escolas do concelho de Matosinhos; Visita: 1€
Quando: Atividade: Terça a Sexta: 10H-12H/15H - 17H ; Visita: Terça a Domingo e Feriado: 10h-13h/15h - 18h
Onde: Museu da Quinta de Santiago / Espaço Irene Vilar

Feira de produtos biológicos – Jardim Basílio Teles
Aos sábados, das 9h00 às 14h00, no Jardim Basílio Teles, realiza-se uma feira de produtos hortícolas produzidos em agricultura biológica, onde poderá encontrar alternativas de alimentação mais saudável e saborosa.
Quando: sábados das 9h00 às 14h00
Onde: Jardim Basílio Teles

Exposição “OUVE-ME, SENTE-ME, VÊ-ME” - Museu da Quinta de Santiago
O Museu da Quinta de Santiago é palco de mais uma exposição. “OUVE-ME, SENTE-ME, VÊ-ME”, uma exposição de obras de mulheres-artista do acervo municipal, inaugurou no dia 10 de novembro e estará patente neste núcleo museológico de Matosinhos, até 23 de março de 2019.
A exposição mostra o primeiro de três olhares sobre as mulheres artistas representadas no acervo municipal de artes plásticas. O mote é a designação de uma das mais famosas séries expositivas de Helena Almeida, recentemente falecida: em jeito de homenagem àquela que foi uma das mais importantes artistas portuguesas de todos os tempos, o título “Ouve-me, sente-me, vê-me” vai dar origem a um conjunto de três exposições no Museu da Quinta de Santiago, em Leça da Palmeira, Matosinhos, dando a conhecer outras tantas perspetivas sobre as mulheres artistas presentes na coleção de arte que a Câmara Municipal de Matosinhos vem consolidando desde a década de 1950.
A primeira das exposições, “Sente-me”, foi inaugurada a 10 de novembro. Seguir-se-ão, ainda em 2019, “Ouve-me” e, em 2020, “Vê-me”, completando o percurso pelo lado feminino da coleção municipal de artes plásticas e trazendo à luz do dia um conjunto de obras pouco mostradas no decurso das últimas décadas.
Taxas: 1€ (entrada no Museu) + 1€ (visita guiada)/2€ (visita especial); Domingo das 15h às 18h ENTRADA no Museu gratuita.
Quando: 10 de novembro a 29 de março de 2019
Onde: Museu da Quinta de Santiago

Exposição "Retratos 1970-2018" de Alfredo Cunha – Galeria Municipal de Matosinhos
A mostra “Retratos 1970-2018” junta quarenta e uma fotografias a preto-e-branco, combinando algumas das imagens mais icónicas daquele que foi um dos repórteres fotográficos da revolução de 25 de abril de 1974 – Alfredo Cunha - com uma seleção de personalidades da região Norte. A exposição ficará patente até 26 de janeiro de 2019.
Nomes como os de Mário Soares, Ângelo de Sousa, Álvaro Siza Vieira, Marcelo Rebelo de Sousa, Alberto Carneiro, Eugénio de Andrade, Agustina Bessa-Luís e Manuel de Oliveira surgem captados pelo olhar único de Alfredo Cunha, que ainda no ano passado apresentou na Cordoaria Nacional, em Lisboa, uma extensa coleção de 500 retratos.
Horário da Galeria: 2ª a 6ª feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Sábados e feriados, das 15h00 às 18h00; Encerra aos domingos.
Quando: de 20 de outubro a 26 de janeiro de 2019
Onde: Galeria Municipal de Matosinhos

Exposição "Tóssan - A Vida é Engraçada, Mas Eu Levo-a a Sério” - Casa do Design
O nome de António Fernando dos Santos não dirá muito a quase ninguém. Já o do ilustrador Tóssan, seu alter-ego, corresponde a um “humorista total” e a um “poeta do absurdo”, conforme o define Jorge Silva, comissário da exposição “Tóssan — A Vida é Engraçada, Mas Eu Levo-a a Sério”, que foi inaugurada no dia 3 de outubro, na Casa do Design de Matosinhos.
Organizada pela Câmara Municipal de Matosinhos, pela Câmara Municipal de Setúbal e pela esad—idea, Investigação em Design e Arte, a exposição estará patente na Casa do Design em Matosinhos até 2 de março de 2019, reunindo o espólio do multifacetado artista, designer, ilustrador, humorista e poeta, objeto de homenagem na última edição da Festa da Ilustração 2018, que decorreu em Setúbal durante o mês de junho.
“Tóssan — A Vida é Engraçada Mas Eu Levo-a a Sério” reúne ilustrações, caricaturas, desenhos e rascunhos de um artista que não queria mais do que descobrir a própria identidade.
Quando: de 3 de outubro até 2 de março de 2019 | horário: e segunda a sexta: 9h00 - 12h30 | 14h - 17h30 |sábados e feriados das 15h às 18h |Encerra aos domingos.
Onde: Casa do Design

Obra "Medida Incerta" – Esculturas de José Pedro Croft - Real Vinícola
Depois de ter representado Portugal na edição de 2017 da mais importante bienal do mundo, em Veneza, a obra “Medida Incerta”, de José Pedro Croft, está na sua casa definitiva, na Real Vinícola, em Matosinhos.
Ao todo, são seis esculturas em aço, vidro e espelho, com medidas de três por seis metros ligadas a estacas, e que pesam 140 toneladas. O objetivo é refletir a realidade em seu redor.
A estrutura foi adquirida em março pela Câmara Municipal de Matosinhos.
Refira-se que José Pedro Croft é considerado o mais importante escultor português da geração surgida na década de 1980, tendo sido escolhido para criar a obra que representou Portugal na Bienal de Veneza deste ano.
“Medida Incerta” foi pensada para dar sequência à exposição de 2016, dedicada aos complexos habitacionais desenhados por Álvaro Siza Vieira, tendo estado instalada, durante a bienal, na Villa Hériot da ilha da Giudecca, a poucos metros de um projeto do arquiteto, com cuja métrica a obra de arte dialoga.
A instalação definitiva de “Medida Incerta” junto da Casa da Arquitectura, escolhida por José Pedro Croft, permite, assim, retomar o diálogo entre as duas artes, presente na sua génese. O curador da representação portuguesa em Veneza, João Pinharanda, salienta que, a despeito do “diálogo rítmico com a métrica” do projeto de Álvaro Siza, as esculturas de Croft “são claramente autónomas dessa referência”, desenvolvendo “metáforas de energia (aceleração, instabilização e efemeridade, vertigem ou multiplicação)”.
As peças de “Medida Incerta” foram visitadas em Veneza por 16.110 pessoas entre maio e novembro. As esculturas, com uma altura que ronda os oito metros, estão agora distribuídas pelo espaço do antigo quarteirão industrial de Matosinhos, reabilitado pela Câmara Municipal de Matosinhos para acolher a Casa da Arquitetura e a Orquestra Jazz de Matosinhos.
José Pedro Croft nasceu no Porto em 1958. Em 1981, concluiu o curso de pintura em Lisboa na Escola Superior de Belas Artes. A sua obra está representada em diversas coleções públicas e privadas, nomeadamente no Banco Central Europeu, em Frankfurt (Alemanha), no Museu Rainha Sofia, em Madrid (Espanha), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (Brasil) e na Coleção Albertina, em Viena (Áustria).
Em Portugal, está presente nas coleções da Caixa Geral de Depósitos, da Fundação Calouste Gulbenkian, do Museu Berardo e o Centro Cultural de Belém, em Lisboa, na coleção António Cachola, no Museu de Arte Contemporânea de Elvas, e na Fundação de Serralves, no Porto, entre outras.
Quando: horário de inverno: de terça a sexta-feira – das 10h00 às 18h00/sábados, domingos e feriados – das 10h00 às 19h00
Onde: Edifício da Real Vinícola

Exposição “Duas casas de Paulo Mendes da Rocha” – Real Vinícola
A exposição “Duas Casas de Paulo Mendes da Rocha” aborda o sentido de habitar de Paulo Mendes da Rocha através de uma parte menos conhecida da sua obra, as habitações unifamiliares.
Com curadoria de Nuno Sampaio, diretor executivo da CA, “Duas Casas” oferece a possibilidade de visitar dois projetos singulares no acervo do arquiteto Paulo Mendes da Rocha que, na lógica transatlântica desta programação, se situam em Portugal e no Brasil.
As duas casas unifamiliares – a Casa Gerassi em São Paulo e a Casa Quelhas, em Lisboa, desenhada em coautoria com Inês Lobo – apresentam-se ao público a partir de três abordagens visuais: as maquetes de cada uma, mandadas fazer expressamente para a mostra; as fotos de Leonardo Finotti e o registo audiovisual quer da construção das habitações, quer dos seus interiores.
Desenhadas e construídas com 30 anos de intervalo entre si, as “Duas Casas” de Paulo Mendes da Rocha são um convite a visitar o círculo habitualmente reservado das habitações familiares e a conhecer o modo como o arquiteto brasileiro “valoriza o encontro, a partilha e a socialização da família”, conforme escreve o curador Nuno Sampaio.
O certame, de entrada livre, estará patente na Casa da Arquitetura, até 10 de fevereiro de 2019.
Mais informações em: https://bit.ly/2OASREs 
Quando: de 28 de setembro até 10 de fevereiro de 2019
Onde: Casa da Arquitetura - Real Vinícola

Dominguinhos: Atelier de ciência – “Aeroplano de palhas” - Mar Shopping
Os Dominguinhos voltaram em 2019 e o Mar Shopping promove atividades lúdicas dedicadas aos mais novos poderão conhecer curiosidades sobre a natureza. Este domingo é dedicado ao atelier de ciência, onde os mais pequenos poderão desenvolver uma atividade didática. Os “Dominguinhos” são compostos por diferentes temáticas mensais e surgem da parceria com a Catavento, empresa da incubadora de indústrias criativas da Fundação de Serralves, que se dedica a projetos educativos. A entrada é livre.
Quando: 13 de janeiro, domingo, pelas 11 horas.
Onde: Mar Shopping