Passar para o Conteúdo Principal
world best fish
logo world's best fish
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Máx C
Mín C
google plus

O que não pode perder este fim de semana em Matosinhos

7992 1 980 2500
06 Junho 2018


Junho começa com muita energia e boa disposição, aqui, na terra do melhor peixe do mundo – Matosinhos!
Consulte algumas das nossas sugestões para o fim de semana que se avizinha.

Exposição PROCESSOS EM TRÂNSITO| Livros de Artista - Átrio da Câmara Municipal de Matosinhos
O Átrio do edifício dos Paços do Concelho de Matosinhos vai acolher a partir de sábado, 9 de junho, a exposição “PROCESSOS EM TRÂNSITO| Livros de Artista”, um projeto dos artistas plásticos Sobral Centeno e Daniela Steele que ficará patente no átrio da autarquia até ao dia 28 de julho.
A inauguração do certame está agendada para as 16h00 do dia 9 de junho.
Quando: de 9 de junho até 28 de julho | Horário: 2ªf, 3ªf, 5ªf e 6ªf: 09h às 18h
4ªf: 9h às 20h
Onde: átrio da Câmara Municipal de Matosinhos

Corrida do Atlântico - Lavra
Lavra vai ser palco de mais uma corrida. A Corrida do Atlântico realizar-se-á no próximo dia 9 de junho, pelas 18h00, com um percurso com partida e chegada em Lavra, na Praia de Angeiras, e inclui uma corrida de 10 kms e uma caminhada de 5 kms.
Para inscrições e mais informações: www.proevents.pt 
Quando: 9 de junho, pelas 18h00
Onde: Lavra – Matosinhos

Trilhos do Vale do Leça - Vale do Leça
A 3ª edição da prova “Trilhos do Vale do Leça” vai acontecer já no dia 10 de junho. O Trail de 24km, nesta 3ª edição, faz parte do circuito da Lacatoni Taça de Portugal de Trail. No percurso de Trail de 12km os participantes poderão correr e competir, mas também poderão apenas caminhar.
Organizado pela Funevents e a União de Freguesias de Custóias, Leça do Balio e Guifões, o evento encontra-se inserido no programa Matosinhos, Mar de Desporto e conta com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos e da MatosinhoSport, prometendo assim revelar um conjunto de caminhos no vale do rio Leça que não eram percorridos há vários anos.
Pode acompanhar novidades sobre este evento em: www.funevents.com.pt 
Quando: 10 de junho
Onde: Vale do Leça

Põe-te a Mexer… nas Marginais – Marginal de Matosinhos
No dia 10 de junho, pelas 10h30, na marginal de Matosinhos, realizar-se-á mais um “Põe-te a Mexer… nas Marginais”, com caminhada de 6 km, fitness MS Fit, rastreios de saúde e muita animação. A participação é gratuita. Aproveite esta oportunidade para se se divertir, enquanto pratica exercício físico ao ar livre!
Quando: 10 de junho, pelas 10h30
Onde: Marginal de Matosinhos

Tarde de Fados – Jardim Basílio Teles
O Jardim Basílio Teles vai ser palco duma tarde dedicada ao fado já no próximo dia 10 de junho, pelas 15h30, numa iniciativa organizada pela Associação Amigos do Fado de Matosinhos, com o apoio da Câmara Municipal.
Não perca a oportunidade de ouvir interessantes vozes da nossa terra!
Quando: 10 de junho, pelas 15h30
Onde: Jardim Basílio Teles

O Baile dos Candeeiros – Senhora da Hora
Todos nós temos um universo mágico que carregamos da nossa infância. Candeeiros humanos, autónomos, espalhados por pontos estratégicos, transformam os espaços que habitam, e deslocam-se através deles com movimentos específicos: acendem, apagam, respiram, interagem...
É assim o “Baile dos Candeeiros”, um espetáculo que decorre já na próxima sexta-feira, dia 8 de junho, pelas 21h30, no Parque das Sete Bicas, na Senhora da Hora. Uma intervenção artística que parte de um conceito de instalação plástica, associado a uma composição coreográfica de movimento dos corpos no espaço, e da luz como cenário visual vivo.
Com este trabalho, a companhia RADAR 360º, quer reforçar o acto criativo no universo das artes de rua, apostando numa intervenção não convencional, com fortes contornos plásticos, tendo como Público-alvo, toda a pessoa que cruze o espaço público, e equacione cruzar-se com um candeeiro dançante.
Uma iniciativa promovida pela Junta da União das Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora, com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos.
Quando: 8 de junho, pelas 21h30
Onde: Parque das Sete Bicas - Senhora da Hora

Festas de aniversário no museu: “O museu é mais velho do que eu!” – Museu da Quinta de Santiago
O Museu da Quinta de Santiago promove festas de aniversário para crianças dos 6 aos 12 anos. As festas infantis incluem uma visita especial ao museu ou á cascata gigante e a realização de uma oficina. Os preços dependem do número de participantes: até 15 crianças: 5€ cada e a partir de 16 participantes: 4,50€, com um mínimo de 10 e máximo de 25 crianças. Para mais informações contatar casadobosque@cm-matosinhos.pt ou pelo telefone 229 392 410.
Quando: sábados, das 10h00 às 13h00 ou das 15h00 às 18h00.
Onde: Museu da Quinta de Santiago | Espaço Irene

Vem Descobrir a Cascata Gigante – Museu da Quinta de Santiago / Espaço Irene Vilar
Doada ao Museu em maio de 2010, a Cascata Gigante, com cerca de 15m2, é uma reconstrução representativa da Leça de inícios do séc. XX, construída por José Moreira ""o mais velho cascateiro de Leça, localidade em que está ainda muito arreigada a tradição da montagem de grandes cascatas leceiras. Dominam as representações de pormenores, monumentos, tradições e episódios históricos de Leça da Palmeira."
Atividade: 1€ visita guiada + 2€ Atelier l p/ participante. Nº mín. de participantes:5.
Nº max.de participantes: 20. Inscrição Obrigatória. A ação é gratuita para escolas do concelho de Matosinhos; Visita: 1€
Quando: Atividade: Terça a Sexta: 10h-12h/15h – 17h ; Visita: Terça a Domingo e Feriado: 10h-13h/15h - 18h
Onde: Museu da Quinta de Santiago / Espaço Irene Vilar

Feira de produtos biológicos – Jardim Basílio Teles
Aos sábados, das 9h00 às 14h00, no Jardim Basílio Teles, realiza-se uma feira de produtos hortícolas produzidos em agricultura biológica, onde poderá alternativas de alimentação mais saudável e saborosa.
Quando: sábados das 9h00 às 14h00
Onde: Jardim Basílio Teles

Exposição ’Estórias Recontadas’ – Galeria da Biblioteca Municipal Florbela Espanca
A Galeria Biblioteca Municipal Florbela Espanca, com a colaboração do Museu de Olaria de Barcelos, acolhe de 19 de maio até 14 de julho, a “Estórias Recontadas”, uma exposição de cerâmica – figurado português de Barcelos, um projeto de A. Cunha e Silva e do oleiro João Ferreira.
Quando: de 19 de maio até 14 de julho | Horário: de 2ªf a 6ªf: 9h30 – 19h; Sábados: 09h30 – 12h30/ 13h30 – 17h30
Onde: Galeria da Biblioteca Municipal Florbela Espanca

Exposição de Fotografia de Luís Ferreira Alves “Real Vinícola – Uma Reconversão” – Galeria Municipal
O mais conhecido fotógrafo português de arquitetura acompanhou o processo de restauro do mais antigo edifício industrial de Matosinhos.
As imagens podem agora ser vistas numa exposição e num catálogo que inclui textos de Álvaro Siza Vieira e Eduardo Souto de Moura e que se intitula “Real Vinícola – Uma Reconversão”.
Assim, de 26 de maio até 22 de setembro, estará patente na Galeria Municipal de Matosinhos, a exposição de fotografias do fotógrafo Luís Ferreira Alves relacionadas com os diversos momentos de desenvolvimento do edifício da Real Vinícola.
Quando: de 26 de maio até 22 de setembro | horário: 2ª a 6ª feira das 9h00às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Sábados, domingos e feriados das 15h00 às 18h00
Onde: Galeria Municipal

Exposição “Brinquedos para Ícaro - Leques da coleção de arte contemporânea Boti Llanes” – Museu da Quinta de Santiago
O Museu da Quinta de Santiago acolhe uma nova exposição “Brinquedos para Ícaro - Leques da coleção de arte contemporânea Boti Llanes”, até 9 de setembro de 2018.
Trata-se de uma mostra deslumbrante de 100 leques pintados por 100 artistas cubanos, com a curadoria da cubana Llilian Llanes, criadora da Bienal de La Habana.
Mais informações em:
http://www.cm-matosinhos.pt/frontoffice/pages/242?news_id=5492 
Quando: de 18 de maio a 9 de setembro de 2018
Onde: Museu da Quinta de Santiago

“Portugal Imaginário — Turismo, Propaganda e Poder (1910-1970)” - Casa do Design
Era uma vez um país pobre, sujo, fechado e atrasado. Chamava-se Portugal e, nos cartazes da propaganda, aparecia soalheiro, moderno e civilizado. A tradução gráfica do processo de invenção deste outro país à medida do gosto dos turistas é o mote da exposição “Portugal Imaginário — Turismo, Propaganda e Poder (1910-1970)”, que inaugurou na Casa do Design de Matosinhos no dia 18 de abril e que ficará patente até 1 de setembro.
Comissariada por José Bártolo e Sara Pinheiro, a exposição centra-se nas ferramentas de divulgação turística no tempo do ditador António Oliveira Salazar e, mais concretamente, nos cartazes, brochuras, revistas, livros e objetos de arte popular que permitiram configurar o “Sunny” Portugal. Numa altura em que o número de turistas que nos visitam bate sucessivos recordes, “Portugal Imaginário — Turismo, Propaganda e Poder” promove uma oportuna reflexão em torno das ferramentas usadas na criação de um país para turistas, mas também sobre o surgimento de um novo paradigma estético e a grande renovação das artes gráficas que o acompanhou.
Documental e iconográfica, a exposição traça uma panorâmica sobre a evolução do turismo em Portugal entre o início do século XX a década de 1970. Identifica as temáticas, as expressões gráficas e as principais linhas de orientação ideológica das entidades que, ao longo deste período, assumem a promoção turística nacional, nomeadamente a Sociedade de Propaganda de Portugal, o Secretariado de Propaganda Nacional e o Secretariado Nacional de Informação, Cultura Popular e Turismo.
Organizada pela Câmara Municipal de Matosinhos e pela esad—idea, Investigação em Design de Arte, esta mostra contará, a partir de 10 de maio, com uma grande exposição evocativa dos 250 anos da Imprensa Nacional.
Curadoria: José Bártolo, Sara Pinheiro
Coordenação Geral: Bárbara Araújo | Design Gráfico: esad—idea, Inês Nepomuceno | Design Expositivo: Tomás Lobo | Caligrafia: Hugo Xesta | Imagem e Som: Fernando Miranda, Tânia Franco |Montagem: José Castro | Cedência dos materiais: José Bártolo, Jorge Silva, Paulo Marcelo
Quando: de 18 de abril a 1 de setembro | Horário: de segunda a sexta: 9h00 - 12h30 | 14h - 17h30 |sábados e feriados das 15h às 18h |Encerra aos domingos.
Onde: Casa do Design de Matosinhos – edifício dos Paços do Concelho

Imprimere - Arte e Processo nos 250 Anos da Imprensa Nacional – Casa do Design
531 anos depois de Samuel Gacon ter impresso em Faro o primeiro livro produzido em Portugal segundo o método dos caracteres móveis inventado pelo alemão Johannes Guttenberg, a Casa do Design de Matosinhos dedica uma grande exposição à tecnologia que permitiu reconfigurar o mundo e a transmissão do saber. Imprimere — Arte e Processo nos 250 Anos da Imprensa Nacional foi inaugurada no dia 10 de maio, explorando os principais processos e técnicas de artes gráficas relacionadas com a produção do livro.
A exposição, promovida pela Câmara Municipal de Matosinhos, pela esad—idea, Investigação em Design e Arte e pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda, assinala o 250º aniversário da fundação da Impressão Régia e ficará patente até 3 de novembro, mostrando instrumentos, máquinas, tecnologias e artefactos que ilustram a história da produção gráfica em Portugal.
Com curadoria de Rúben Dias e Sofia Meira, a extensa mostra documental contará com duas máquinas históricas em funcionamento e um espaço-oficina onde o público poderá conhecer e experimentar algumas das técnicas de impressão. Rúben Dias é tipógrafo, designer de tipos e docente na ESAD, e Sofia Meira é designer gráfica e responsável pela Oficina de Tipografia da ESAD, estando ambos a desenvolver investigação nesta área.
Explorando de forma didática os principais processos, técnicas e tecnologias de artes gráficas subentendidas à produção do livro, a exposição Imprimere (que em latim significa imprimir, marcar, cravar, afundar) procura, segundo os curadores, «recuperar o conhecimento passado outrora entre mestre e aprendiz, tanto numa perspetiva de redescoberta como de reinterpretação para o presente».
Quando: de 10 de maio a 3 de novembro
Onde: Casa do Design

Almanaque - Design Português em Revista – Casa do Design de Matosinhos
Está patente, na Casa do Design de Matosinhos, a exposição “Almanaque – Design Português” com curadoria de José Bártolo. A exposição é constituída por revistas da coleção de José Bártolo, que permite recompor cerca de 150 anos de história do design gráfico, da ilustração e da tipografia em Portugal. Mais informações em : http://www.cm-matosinhos.pt/frontoffice/pages/242?news_id=4602 
Quando: de segunda a sexta: 9h00 - 12h30 | 14h - 17h30 |sábados e feriados das 15h às 18h |Encerra aos domingos.
Onde: Casa do Design de Matosinhos – edifício dos Paços do Concelho

Exposição Monasterium KM234 - Mosteiro de Leça do Balio
No dia 19 de maio, o Mosteiro de Leça do Balio abriu portas a toda a comunidade, na sua diversidade e riqueza: às comunidades educativas, às comunidades artísticas e culturais, às comunidades interessadas pela cultura religiosa e pela cultura patrimonial e, claro, à comunidade institucional.
Esta abertura do Mosteiro, sucede num ano particularmente feliz, o Ano Europeu do Património Cultural.
Convidamos toda a comunidade a participar na devolução do património arquitetónico, religioso, secular e intemporal que é o Mosteiro de Leça do Balio a todos os cidadãos. “Monasterium km 234,” tem como ícones a figura de Santiago e uma “caixa dentro da caixa” desenhada e esculpida por Siza Vieira.
Através do percurso expositivo desta exposição desenhada, é possível percorrermos o Mosteiro de Leça do Balio testemunhando a sua monumentalidade e integralidade presentes numa viagem que nos levará até ao Parque do Mosteiro, jardim urbano igualmente em processo de requalificação e devolução à comunidade.
Isto enquanto viajaremos pela sua história (a do Mosteiro), pela nossa História (a de Portugal), pelo Caminho de Santiago (no qual se situa no km 234 e de que é um ícone a ser, agora, resgatado) e, ainda, pela arquitetura também ela intemporal de Siza Vieira, cuja maquete será revelada nesta exposição e que encontrará o seu lugar final no Parque do Mosteiro, projetado pelo Arquiteto Paisagista Sidónio Pardal, no que será o primeiro trabalho comum de duas das personalidades que mais revolucionaram a arquitetura e o urbanismo portugueses.
Marcação prévia para visitantes com mobilidade reduzida | Marking for visitors with reduced mobility
email: info@mosteirolecabalio.com | telefone: 91 650 23 92
Mais informações em:
http://www.cm-matosinhos.pt/frontoffice/pages/1464?event_id=4545 
Quando: de 19 de maio a 16 de dezembro | horário: de quarta-feira a domingo, das 9h30 às 18h30
Onde: Mosteiro de Leça do Balio

Exposição “Remade X - Não cobiçar as coisas alheias” - Casa da Arquitectura
“Remade X - Não cobiçar as coisas alheias” é a edição comemorativa do 10.º aniversário do projeto Remade in Portugal, inaugurada a 28 de abril de 2018, na Galeria da Casa da Arquitectura, em Matosinhos, onde ficará patente até 1 de julho.
O Remade in Portugal é um projeto cultural concebido como um desafio ao design e às artes plásticas para refletirem sobre as questões ambientais, alargando o seu campo de ação à arquitetura, às artes visuais, música, literatura e cinema.
O conceito visa promover a concepção de produtos de grande qualidade estética e funcional, incorporando no seu fabrico mais de 50% de resíduos.
Esta exposição é coorganizada pela Casa da Arquitectura e a organização Remade in Portugal, tem como mecenas a Fundação EDP e conta com o apoio institucional da Agência Portuguesa do Ambiente (APA). A coordenação do projeto está a cargo de José Manuel dos Santos (Diretor Cultural da Fundação EDP), Roberto Cremascoli (Diretor Artístico do Remade in Portugal) e, nesta edição, em colaboração com Nuno Sampaio (Diretor Executivo da Casa da Arquitectura).
O ano de 2017 assinalou uma década do projeto Remade in Portugal que apresentou cerca de 120 peças de design, realizadas por mais de 50 criadores e 60 empresas, e a participação de 40 artistas plásticos e visuais.
“Remade X - Não cobiçar as coisas alheias” quer ser um momento retrospetivo e de reflexão sobre a primeira década do projeto, com uma seleção não só de peças mas também de todo o material informativo a nível de imprensa, audiovisual, fotografia, para contar a história daquele que foi o primeiro projeto de design ecológico em Portugal, convidando todas as entidades institucionais, públicas e privadas, que contribuíram para o seu crescimento.
As peças expostas são da autoria de Adalberto Dias, Alda Tomás, Álvaro Siza, Ama Design, Ana Pina, Ana Salazar, Ângela Garcia, Carvalho Araújo, Correia Ragazzi, Eduardo Souto de Moura, Francisco Providência, Galula Studio, João Mendes Ribeiro, Júlio Dolbeth, Lorena Pimenta, Luís Buchinho, Manuel Aires Mateus, Manuel Graça Dias e Egas José Vieira, Maria Gambina, Nuno Sottomayor, Paulo Costa, Paulo Seco, Pedro Silva Dias, Pedro Sottomayor, Ricardo Dourado, Rita Garizo, Rui Grazina, S.O.M.A., Soraia Abreu.
Quando: 28 de abril até 1 de julho
Onde: Casa da Arquitectura – Real Vinícola

Obra "Medida Incerta" – Esculturas de José Pedro Croft - Real Vinícola
Depois de ter representado Portugal na edição de 2017 da mais importante bienal do mundo, em Veneza, a obra “Medida Incerta”, de José Pedro Croft, já está na sua casa definitiva, na Real Vinícola, em Matosinhos.
Ao todo, são seis esculturas em aço, vidro e espelho, com medidas de três por seis metros ligadas a estacas, e que pesam 140 toneladas. O objetivo é refletir a realidade em seu redor.
A estrutura foi adquirida em março pela Câmara Municipal de Matosinhos.
Refira-se que José Pedro Croft é considerado o mais importante escultor português da geração surgida na década de 1980, tendo sido escolhido para criar a obra que representou Portugal na Bienal de Veneza deste ano.
“Medida Incerta” foi pensada para dar sequência à exposição de 2016, dedicada aos complexos habitacionais desenhados por Álvaro Siza Vieira, tendo estado instalada, durante a bienal, na Villa Hériot da ilha da Giudecca, a poucos metros de um projeto do arquiteto, com cuja métrica a obra de arte dialoga.
A instalação definitiva de “Medida Incerta” junto da Casa da Arquitectura, escolhida por José Pedro Croft, permite, assim, retomar o diálogo entre as duas artes, presente na sua génese. O curador da representação portuguesa em Veneza, João Pinharanda, salienta que, a despeito do “diálogo rítmico com a métrica” do projeto de Álvaro Siza, as esculturas de Croft “são claramente autónomas dessa referência”, desenvolvendo “metáforas de energia (aceleração, instabilização e efemeridade, vertigem ou multiplicação)”.
As peças de “Medida Incerta” foram visitadas em Veneza por 16.110 pessoas entre maio e novembro. As esculturas, com uma altura que ronda os oito metros, estão agora distribuídas pelo espaço do antigo quarteirão industrial de Matosinhos, reabilitado pela Câmara Municipal de Matosinhos para acolher a Casa da Arquitetura e a Orquestra Jazz de Matosinhos.
José Pedro Croft nasceu no Porto em 1958. Em 1981, concluiu o curso de pintura em Lisboa na Escola Superior de Belas Artes. A sua obra está representada em diversas coleções públicas e privadas, nomeadamente no Banco Central Europeu, em Frankfurt (Alemanha), no Museu Rainha Sofia, em Madrid (Espanha), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (Brasil) e na Coleção Albertina, em Viena (Áustria).
Em Portugal, está presente nas coleções da Caixa Geral de Depósitos, da Fundação Calouste Gulbenkian, do Museu Berardo e o Centro Cultural de Belém, em Lisboa, na coleção António Cachola, no Museu de Arte Contemporânea de Elvas, e na Fundação de Serralves, no Porto, entre outras.
Quando: horário de inverno: de terça a sexta-feira – das 10h00 às 18h00/sábados, domingos e feriados – das 10h00 às 19h00
Onde: Edifício da Real Vinícola

“Os Universalistas - 50 anos de arquitectura portuguesa” – Casa da Arquitectura
Depois de em 2016 ter estado patente na Cité de l’Architecture et du Patrimoine, em Paris, a mostra “Os Universalistas – 50 anos de arquitectura portuguesa” será apresentada pela primeira vez em Portugal. A exposição, que vai ocupar a Nave Expositiva da Casa da Arquitectura, em Matosinhos, é inaugurada a 13 de abril e pode ser visitada até 19 de agosto.
Esta exposição multimédia propõe um olhar sobre meio século de pensamento e produção arquitetónica portuguesa, percorrendo o trabalho de arquitetos de referência como Fernando Távora, Alberto Pessoa, Ruy d’Athouguia, Manuel Tainha, Pancho Guedes, Nuno Teotónio Pereira, Nuno Portas, Álvaro Siza, Alcino Soutinho, Eduardo Souto de Moura, João Luís Carrilho da Graça, Manuel Graça Dias; e também de alguns dos mais promissores arquitetos portugueses das últimas décadas, como Manuel e Francisco Aires Mateus, ARX Portugal, Paulo David, Paula Santos, João Mendes Ribeiro, Cristina Guedes e Francisco Vieira de Campos.
Na exposição misturam-se materiais relativos a 50 projetos – incluindo maquetes, desenhos técnicos e fac-símiles de esquissos ou esboços de arquitetos – com fotografias, textos e caricaturas que refletem as transformações político-sociais em Portugal, nos últimos 50 anos.
Organizada e produzida pela Casa da Arquitectura e coorganização da Fundação Calouste Gulbenkian e da Cité de l’Architecture et du Patrimoine, a exposição tem o comissariado do arquiteto Nuno Grande.
A exposição será acompanhada por um programa paralelo de grande abrangência, a decorrer na sala de conferência da nave Expositiva, e que incide sobre alguns dos conteúdos da mostra.
Mais informação em: http://casadaarquitectura.pt/exposicao-os-universalistas-50-anos-arquitectura-portuguesa-inaugura-13-abril/ 
Quando: de 13 de abril a 19 de agosto
Onde: Nave Expositiva da Casa da Arquitectura

Dominguinhos: Teatro de fantoches – “Luís de Camões” - Mar Shopping
Os Dominguinhos voltaram em 2018 e o Mar Shopping promove atividades lúdicas dedicadas aos mais novos em que estes poderão conhecer curiosidades sobre a natureza. Este domingo é dedicado ao teatro de fantoches, e os mais pequenos terão a oportunidade de desenvolver uma atividade didática. Os “Dominguinhos” são compostos por diferentes temáticas mensais e surgem da parceria com a Catavento, empresa da incubadora de indústrias criativas da Fundação de Serralves, que se dedica a projetos educativos. A entrada é livre.
Quando: 10 de junho, domingo, pelas 11 horas.
Onde: Mar Shopping

 

7992 1 980 2500